31 de dez de 2010

Programas para ouvir

Ola,

tem alguns programas que podem ser ouvidos no site do Irdeb:

01 - Festival Música Mestiça (link)
Um programa sobre o Festival Música Mestiça, que conta com a presença de diversos países.

02 - Festival Black to Black (link)
O programa traz o som do festival Back to Black, que aconteceu no Rio de Janeiro.

03 - Seleção Musical (link)
Tell Me, Asa, na faixa Fire on the Mountain, Keziah Jones, com a canção Lagos X NY, entre outros.

04 - DJ Álvaro Panafricano (link)
O som das orquestras Gnawa e Berbes, o Coral da África do Sul, as bandas Tinariwen e Kalibrados, entre outros.

05 - Diversidade musical (link)
O programa é marcado pela diversidade de artistas e de estilos do continente africano.

06 - Alexandra Gomes (link)
As músicas de Rokia Traoré, Mayra Andrade, Cesária Evorá, Angelique Kidjo, Ayo Miriam Makeba e muito mais.

07 - Ali Farka Touré (link)
O som de Ali Farka Touré, Amadou & Mariam, Tinariwen, Bembeya Jazz e muitos outros.

08 - Artistas diferentes (link)
O programa traz quatro blocos com artistas diferentes de lugares inusitados da África.

09 - Somi (link)
O terceiro disco da cantora e compositora norte-americana Somi, intitulado If the Rains Come First.

10 - A exposição Panáfrica (link)
Um passeio pelos países que se destacaram na grande exposição Panáfrica.

11 - Amadou & Mariam (link)
Um especial com Amadou & Mariam, fazendo um passeio por todos os discos da carreira.

12 - Youssou N'Dour (link)
Os ritmos do Senegal e de Mali comandam o programa.

13 - Etiópia e Congo (link)
Um passeio por dois países importantíssimos do continente africano quando o assunto é música: a Etiópia e o Congo.

14 - Oumou Sangaré (link)
Destaque para o som contagiante de Oumou Snagaré.

15 - Fela Kuti (link)
Confira o som de Fela Kuti, Jah Fakoli, Angelique Kidjo, Hugh Massakela e muito mais.

16 - Seun Kuti (link)
Seun Kuti, filho do lendário Fela Kuti, é um dos destaques do programa.

17 - Copa do Mundo 2010 (link)
Escute um programa especial com artistas e grupos da Nigéria e da Argélia.

18 - A mistura de ritmos do continente africano (link)
Victor Démé de Burkina Faso, Paulo Flores, de Angola, Mamani Keita do Mali e muitos outros.

19 - Staff-Benda Bilili (link)
O disco Très Très Fort da banda Staff Benda Bilili, sensação da música congolesa.

20 - Seleção Especial (link)
Mamani Keita, Miriam Makeba, Mulatu Astatke, Amadou et Mariam, Mayra Andrade, Angelique Kidjo e muito mais!

21 - Tinariwen (link)
Youssour N’Dour, Tinariwen, Fela Kuti e muito mais no repertório do programa.

22 - África do Sul (link)
Programa em clima de Copa do Mundo destaca artistas da África do Sul.

23 - Angélique Kidjo (link)
Um programa dedicado a Angélique Kidjo.

24 - Ancestralidade e contemporaneidade (link)
O programa traz o passado e o contemporâneo da música africana em um só programa.

25 - Homenagem ao dia dos pais (link)
Uma seleção muito especial com a produção musical de dois artistas africanos e seus filhos.

26 - Diversos países do continente (link)
Um som único que vai levar você a uma viagem musical pela África. No programa diversos países mostram seu som.

27 - seleção especial (link)
Uma seleção musical muito especial com o melhor som do continente africano.

28 - Copa do Mundo 2010 II (link)
O programa Rádio África faz um passeio musical pelo país da Copa do Mundo de 2010.

29 - Continente Negro (link)
O som de Femi Kuti, filho de Fela Kuti, pelas jovens cantoras ASA e Ayo, a Orchestra Baoba e muito mais.

30 - Mayra Andrade, Fela Kuti, Tinariwen (link)
O DJ Sankofa faz uma viagem musical que passará pelo som de Youssou N'Dour, Fela Kuti, Tinariwen, Mayra Andrade, Bembeya Jazz Orchestra.

31 - Playlist especial (link)
Habib Koité, Tinariwen, Orquestre Poly-rhytmo de Cotonou, Paulo Flores e Amadou e Marian.

32 - Mokhtar (link)
O Rádio África traz Mokhtar Samba, um dos maiores bateristas do mundo.

33 - Artistas do Percpan (link)
O programa traz os artistas que participam da 17ª edição do Percpan.

34 - Viagem pelo continente (link)
Escute belas músicas e toda a diversidade da música do continente africano.

35 - Panorama pelo continente (link)
Manu Dibango, Rajery, Hugh Massakela, Femi Kuti, Keziah Jones e muito mais!

36 - Viagem musical pelos países africanos (link)
Escute o melhor da música africana e faça uma viagem musical por diversos países deste continente.

37 - Tradição e novidades (link)
O Rádio África traz as novidades músicais e tradição do Continente Africano.

38 - Gana e Senegal (link)
Um programa especial sobre Gana e Senegal. Não perca esta seleção que não vai deixar ninguém sentado!

39 - Staff Benda Bilili (link)
Talentosos músicos do Congo, que deixaram as ruas para rodar o mundo com sua música.

40 - melhor do continente (link)
Escute a diversidade musical do continente no programa Rádio África.

41 - Nigéria (link)
O Rádio África traz os principais sons da Nigéria, um dos mais importantes países do continente.

42 - Cheick Tidiane (link)
O Rádio África faz uma viagem musical com o disco do grande Cheick Tidiane.

43- Especial de Natal (link)
DJ Panafricano e Roberto Barreto comandam a seleção musical especial de Natal.

16 de jul de 2010

Programa Rádio África do dia 17/07/2010 traz especial com a banda congolesa Staff Benda Bilili


Conforme já havíamos comentado em programas anteriores, a Staff Benda Bilili - formada por músicos de rua paraplégicos - atualmente é uma das boas bandas vindas da República Democrática do Congo. Neste sábado a partir das 19:00 vocês poderão conferir, com a apresentação de Roberto Barreto e Lúcio Magano, as músicas do disco Trés Trés Fort, lançado no ano passado pelo selo belga Crammed Discs.

O programa Rádio África vai ao ar todos os sábados às 19:00hs pela Educadora FM 107.5, no dial do seu rádio, e também pode ser ouvido no site do IRDEB. Se você não escutou esse programa ou algum outro anterior, lembramos que pode acessar nosso catálogo de áudios.


Destacamos pra vocês alguns links para conhecer um pouco mais sobre a Staff Benda Bilili.


Se você gostou dessa postagem, se você acompanha o Rádio África, ou se você gostou de algum programa / artista, clique no link "comentários" abaixo e envie sua mensagem para a equipe do programa! A gente manda o som e também quer escutar você.

créditos da imagem: www.crammed.be

Chegou Julho, chegou o mês do FMM


O FMM Sines – Festival Músicas do Mundo prepara-se para voltar a surpreender os espectadores com os 26 espectáculos da sua 12.ª edição, marcada para quatro intensos dias de música – 28, 29, 30 e 31 de Julho de 2010 – nos palcos do Castelo medieval e da Praia Vasco da Gama, em pleno coração do centro histórico de Sines.

Os congoleses Staff Benda Bilili, o mais premiado grupo do ano, a lenda do reggae U-Roy,The Mekons, banda britânica que partiu do pós-punk para a fundação do movimento alt-country, e Tinariwen, expoente contemporâneo dos blues do deserto, são alguns destaques da programação de concertos (ver programação completa).

Os interessados em adquirir bilhetes para o FMM 2010 já podem fazê-lo no circuito da Ticketline, que inclui a compra online e a compra presencial em dezenas de lojas por todo o país.

fonte: http://fmm.com.pt/

6 de jun de 2010

Staff Benda Bilili canta para erradicar a poliomielite

Crédito: Crammed


Staff Benda Bilili es un grupo de músicos callejeros, inválidos a causa de la polio, que viven en los alrededores del antiguo zoo de Kinshasa (RD del Congo) y se desplazan en unas sillas de ruedas tuneadas con aspecto de Harley-Davidsons para pobres. Sus canciones han sido el pasatiempo preferido durante el trabajo que realizaban como taxistas entre Kinshasa y Brazzaville, aprovechando la exención de impuestos autorizada por el gobierno. Dos cincuentones, Ricky Likabu y Coco Ngambali, son los líderes de Staff Benda Bilili; su miembro más joven se llama Roger, tiene 17 años y se ha inventado un laúd a partir de un bote de leche en polvo, un trozo de red para pescar, cable eléctrico y un pequeño palo curvo de madera insertado en el bote. Su disco de debut, Très très fort, lleva cinco meses liderando la lista europea de músicas étnicas.

La filosofía vital de Staff Benda Bilili, que huyen de la mendicidad, consiste en no desfallecer: ser fuertes y sentirse orgullosos. Su música es una seductora mezcla de la clásica rumba congoleña con funk a lo James Brown, ritmos afrocubanos mezclado con rythm & blues y reggae. Los músicos, que se consideran los voceros de la vida cotidiana en Kinshasa, reflejan en sus canciones cualquier aspecto destacado de la actualidad congoleña, ya sea el aumento del precio de los alimentos o la importancia que tiene la vacunación de los niños contra la polio. "Porque la única discapacidad real no está en el cuerpo sino en la mente", dicen, orgullosos, en posición de guardia constante contra una enfermedad que, según la Organización Mundial de la Salud, aún afecta de manera endémica a cuatro países en vías de desarrollo, Afganistán, India, Nigeria y Pakistán. La tenacidad y no poca audacia ante las adversidades de la enfermedad son, sin duda, las primeras lecciones que transmite Staff Benda Bilili, cuyo nombre significa "mira más allá de las apariencias".

Su salto a la fama, revelado al mundo tras la visita que Damon Albarn y Massive Attack realizaron hace dos años a África con el proyecto Africa Express, ha encandilado al público occidental. "Valió la pena venir hasta aquí sólo para conocerlos", afirmó Robert del Naja (Massive Attack), conmovido ante la voluntad de hierro del conjunto congoleño, que grabó bajo un árbol apenas con ayuda de un ordenador portátil enchufado al motor del bar local. El disco Très très fort desembarcó en el mercado occidental al calor del éxito mayúsculo logrado por Konono Nº1 y Kasai All Stars en la serie Congotronics (Crammed Discs).

El grupo que prepara ya su segundo disco, realizará una extensa gira por Europa este 2010. Mientras tanto, los cineastas franceses La Belle Konoise estrenaron recientemente en el Festival de Cine de Cannes un documental sobre el grupo que cuenta su particular historia con su propia música como banda sonora. Tras su paso por el festival, actuarán por diversas ciudades españolas en el mes de julio.

Gira española de verano:

29/06/10: Girona (Festival de Músicas Religiosas y del Mundo)
14/07/10: Barcelona (Caixa Fòrum)
15/07/10: Madrid (Caixa Fòrum)
16/07/10: Cartagena (Festival La Mar de Músicas)
17/07/10: Alcalá La Real - Jaén (Etnosur)
18/07/10: Vilanova i la Geltrú - Barcelona (Festival FIMPT)







(http://www.gladyspalmera.com/news/detail/3171/staff/benda/bilili/canta/erradicar/polio.html)

4 de jun de 2010

Copa 2010


Caros Ouvintes,

Nessa copa vamos ter programas especiais, de acordo com os países que estão jogando:

dia 05/06 - África do Sul

dia 12/06 – Nigéria e Argélia

dia 19/06 – Camarões e Gana

dia 26/06 – Costa do Marfim e África do Sul


Os demais programas seguirão de acordo com a classificação dessas seleções na copa.


31 de mai de 2010

Damian Marley e Nas

Dueto incomum homenageia a África
Parceria une nova-iorquino e jamaicano
Por ROB KENNER

A África anda no centro das atenções. A Copa do Mundo da África do Sul começa na semana que vem. Os EUA têm um presidente com pai queniano. E até na Broadway o musical afrocêntrico "Fela!" coleciona indicações ao prêmio Tony.
Um recente show em Manhattan e o lançamento de um álbum inovador são novas evidências da atual proeminência da África.
Com tranças tão longas que quase tocam suas botas, Damian Marley chegou em março ao Fillmore, em Nova York, com uma missão furtiva. Esse astro jamaicano do dancehall, também conhecido como Jr Gong, e o rapper nova-iorquino Nasir Jones, o Nas, planejavam surpreender a plateia de um show do artista de hip-hop K'Naan com uma música de "Distant Relatives", novo álbum da dupla.
Eles entraram por uma porta lateral, pararam no meio da multidão do camarim e assistiram à apresentação do somali K'Naan. Mas logo K'Naan apresentou Nas, ovacionado com "New York State of Mind" (1992). Em seguida, Marley cantou "I Come Prepared", um áspero dueto do álbum mais recente de K'Naan, "Troubadour". E aí chegou a hora dos Distant Relatives ("parentes distantes") juntarem forças. Para delírio da plateia, a dupla começou com "As We Enter", duelo em cima de uma estranha batida de break executada pelo jazzista etíope Mulatu Astatke.
"O cara vai falar um patois [inglês falado no Caribe]", disse Nas, "e eu posso falar como astro do rap". Ele concluiu sua saraivada de versos com uma saudação em suaíli: "Habari gani". Ao que Marley respondeu "Nzuri sana", como se estivessem conversando nas ruas de Nairóbi.
Essas inesperadas misturas culturais estão no coração de "Distant Relatives", novo álbum em que eles exploram a ancestralidade comum que conecta esses dois artistas, oriundos de países e gêneros musicais diferentes, e toda a raça humana.
"Realisticamente, a África é o lugar mais rico do mundo, mas as pessoas não se beneficiam da sua riqueza", disse Marley, filho mais novo de Bob Marley, em entrevista.
"Quando a África for desenvolvida, será a maravilha do mundo, porque vai poder fazer uso de todos os erros das outras nações. Mas isso não vai cair do céu. Então temos de investir trabalho nisso."
"Distant Relatives" não foi concebido como uma colaboração com músicos africanos, como "Graceland", de Paul Simon. O álbum foca a ideia de África, tirando força de um continente que influencia a cultura do hip-hop e do reggae desde o final da década de 1970.
"Este álbum simplesmente não teria funcionado há dez anos", disse Mark Anthony Neal, professor de cultura negra da Universidade Duke, na Carolina do Norte. "Mas, como a África é o que há de mais 'cool' a esta altura, funciona ao contrário. A esperança é que Nas e Damian possam levar a conversa além de simplesmente ser a coisa 'cool' para usar num refrão."
À primeira vista, Marley, 31, e Nas, 36, formam de certa maneira um par estranho. Um é rastafári declarado; o outro é uma espécie de hedonista do hip-hop.
Nas já havia sido parceiro de Marley em um verso de "Road to Zion", tocante single do álbum "Welcome to Jamrock" (2005), que rendeu um Grammy a Marley.
Eles se reuniram quatro anos depois para um EP, mas o projeto, uma vez começado, ficou mais ambicioso. A canção "Friends" está construída em torno de um trecho de "Undenge Uami", do cantor angolano David Zé; "Patience" insere "Sabali", aflitiva canção de Amadou & Mariam, dupla do Mali formada por marido e mulher. Assim como com o jazz etíope de Astatke, "Patience" é uma colaboração intercultural que salienta o entrelaçamento entre a África e o Ocidente.
Nas quer um dia fazer uma turnê pela Terra-Mãe. "Nós vamos para a África, filho", disse. "Temos muito que conversar com os nossos camaradas africanos por lá. Isso não é um jogo."

The New York Times
Folha de São Paulo, segunda-feira, 31 de maio de 2010